Segunda-feira, Fevereiro 26, 2024
InícioNotíciasPortugalGuimarães transmite comemorações do 24 de junho em direto na internet

Guimarães transmite comemorações do 24 de junho em direto na internet

Iniciativas observarão as restrições recomendadas pela Direção Geral da Saúde. Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, preside à Sessão Solene.

Guimarães assinala esta quarta-feira, dia 24 de junho, as comemorações da Batalha de S. Mamede (1128 – 2020) – Dia Um de Portugal – com um programa restrito, em função das recomendações da Direção Geral da Saúde. Para permitir a participação dos Vimaranenses nesta comemoração solene, todos os atos do programa serão transmitidos via streaming no canal do Facebook do Município de Guimarães.

O destaque vai para a Sessão Solene e Aposição de Medalhas Honoríficas, com a presença da Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, e que terá início às 18h00, no Paço dos Duques de Bragança.

Nesta sessão, onde será feita uma homenagem todos os vimaranenses que se revelaram decisivos para o combate ao surto pandémico provocado pelo novo coronavírus, serão atribuídas Medalhas de Mérito Municipal Humanitário aos grupos sociais e profissionais que estiveram na linha da frente no combate à COVID-19: Profissionais de Saúde, Voluntários e ainda Profissionais dos Serviços Essenciais.

O programa geral principia às 10 horas com a cerimónia do hastear das bandeiras. Segue-se uma visita guiada encenada “Aqui Viveu Portugal” pela Astronauta – Associação Cultural, com início no Largo da Oliveira e o final no Castelo. Às 10.30 horas decorrerá a Missa Solene na Igreja da Oliveira e ao final da manhã, às 12 horas, começa a sessão de inauguração da requalificação da Escola Básica de Fafião, em Briteiros Santo Estêvão, também com transmissão em direto na internet.

De tarde, às 17 horas, decorre a visita guiada encenada “Aqui Viveu Portugal”, pela Astronauta – Associação Cultural, com início no Largo da Oliveira e o final no Castelo de Guimarães. Esta visita será transmitida no Facebook do Município no final da Sessão Solene. Às 17h45 está programada a Homenagem a D. Afonso Henriques, com a deposição de uma coroa de flores na Estátua D. Afonso Henriques, em parceria com a Associação Veteranos Lanceiros de Portugal. Segue-se às 18 horas, no Pátio do Paço dos Duques, a Sessão Solene onde decorrerá também a respetiva aposição de Medalhas Honoríficas.

Resenha Histórica – 24 de Junho Dia 1 de Portugal

A utilização do nome de “Portugal” para definir uma configuração política mais ou menos autónoma data do século XI. A separação política consolidada nos séculos seguintes, impôs costumes, relações e referências que acabaram por constituir uma comunidade identitária. O uso da língua neolatina chamada “Português” foi uma das dimensões dessa diferenciação. Mas vamos à história do primeiro dia da ditosa pátria minha amada.

A rejeição da ingerência galega por parte dos senhores portucalenses não parou de alastrar. Os revoltosos ganharam para a sua causa o infante Afonso Henriques, filho de Henrique de Borgonha e de D. Teresa. Nascido em 1109, Afonso Henriques contava 18 ou 19 anos em 1128, altura em que o confronto entre D. Teresa e Fernão Peres de Trava, por um lado, e os barões portucalenses, por outro, atingiu o clímax.

Além da filiação, o jovem Afonso possuía como credenciais o ter-se armado a si próprio cavaleiro e ter defendido a cidade de Guimarães do cerco que lhe foi posto por Afonso VII de Leão e Castela quando este, em 1127, recentemente chegado ao trono por morte de D. Urraca, exigiu que os portucalenses o reconhecessem como soberano.

O campo chefiado por Afonso Henriques ganhou a adesão de vários castelos, entre 1127 e 1228, e o jovem infante começou a tomar decisões que pressupunham o exercício de poderes de soberania no Condado Portucalense.

A 24 de Junho de 1128 travou-se uma aguerrida batalha, no campo de São Mamede, nas proximidades de Guimarães, opondo os partidários de D. Teresa e dos Trava, comandados por Fernão Peres, e os seguidores de Afonso Henriques. Saíram vencedores estes últimos com grande destaque para a ação dos nobres portucalenses. Consumada a Vitória, Afonso Henriques adotou o título de príncipe (princeps) e impôs-se como governante do condado. Derrotado o plano dos Trava e de D. Teresa e revitalizada a autonomia portucalense pela intervenção dos seus barões, tornava-se definitiva a separação política entre a Galiza e aquilo que viria a ser Portugal.   

Fonte: História de Portugal (A Esfera dos Livros)

Por: Fernando Amorim – Vimaranense

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Artigos Populares