Sábado, Maio 25, 2024
InícioNotíciasDiásporaPedidos de assistência dispararam na comunidade luso-americana de São José

Pedidos de assistência dispararam na comunidade luso-americana de São José

O isolamento e dificuldades económicas provocados pela pandemia de covid-19 fizeram disparar os pedidos de assistência à Organização Portuguesa para Serviços Sociais e Oportunidades (POSSO, na sigla inglesa), que apoia a comunidade em São José.

De acordo com a diretora-executiva Bela Ferreira, a associação está agora a providenciar diariamente o triplo das refeições diárias em relação ao que fazia antes da pandemia, organizando a entrega em casa dos luso-americanos mais vulneráveis que residem naquela zona da Califórnia. “Temos tido números muito elevados”, disse à Lusa a responsável. “Tem sido complicado, com os idosos cresceu imenso”. A POSSO serve uma região com uma comunidade considerável, estimando-se que haja cerca de 13 mil pessoas de origem portuguesa só na cidade de São José, de acordo com o US Census Bureau.

“Temos recebido mais telefonemas da comunidade portuguesa, de pessoas que não vinham à nossa sede, não os conhecíamos”, explicou Bela Ferreira. “O nosso problema agora é que não podemos chegar a todo o lado”. Quando os pedidos de assistência vêm de zonas fora do circuito que a POSSO está a servir, a organização remete as pessoas para outros programas de auxílio, como o Meals on Wheels. Segundo a responsável, há mesmo portugueses que estão em situação de sem-abrigo em São José e a organização tem um programa para os auxiliar, em coordenação com as ajudas fornecidas pelo condado.

Com a cozinha aberta e disponível para quem possa ir buscar refeições, o trabalho que a POSSO faz tornou-se mais abrangente por causa da pandemia. “Os empregados do escritório estão a fazer o transporte, a ajudar na cozinha e a fazer visitas de bem-estar, para ver se os idosos que estão em casa têm necessidade de remédios e de compras básicas”, explicou Bela Ferreira. “Temos conseguido levar isso ao domicílio”. A organização está igualmente a ajudar os portugueses que precisam de tratar da declaração de impostos, formulários para o fundo de desemprego e outros documentos, como o Censo 2020.

A POSSO, que tem neste momento 12 pessoas a trabalhar, é uma das parceiras do Conselho de Liderança Luso-americano, PALCUS, que lançou recentemente a campanha “Support our Elders” (Apoiem os nossos Anciãos) para ajudar no financiamento da assistência aos portugueses mais idosos nos Estados Unidos. Por causa da pandemia, a POSSO teve de cancelar o banquete do seu 44.º aniversário e vai fazer uma maratona de angariação de donativos na estação de rádio KSQQ-96.1FM, no dia 16 de maio.

Está também em ponderação a abertura de uma campanha na plataforma GoFundMe, acompanhada de vídeos para promover nas redes sociais os serviços que estão a ser prestados durante a crise. “Necessário é, não há dúvida, as pessoas estão a receber muito bem”, indicou Bela Ferreira. Além das refeições, a organização criou um livro com caça-palavras, desenhos para colorir, versos e folhetos sugerindo exercícios em casa, em português, para ajudar os idosos a manterem-se ativos. “Nós tínhamos um programa diário que era muito bem recebido pelos idosos na nossa sede. Agora, com eles em casa, é preocupante, muitos pouco andavam e se não fazem mesmo nada ainda é pior”.

A responsável frisou que um dos problemas é que há pessoas “que estão a ficar muito deprimidas, especialmente porque não podem ver os familiares” nem sair ou conviver como faziam antes. “É necessário eles estarem em casa”, sublinhou a diretora-executiva, “mas ao mesmo tempo estão a sentir-se presos”. Bela Ferreira referiu pelo menos três casos de luso-americanos que contraíram covid-19 na comunidade e estão agora a recuperar da doença.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (67.674) e mais casos de infeção confirmados (mais de 1,1 milhões). A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 245 mil mortos e infetou mais de 3,4 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

 

FONTE: LUSA

ARTIGOS RELACIONADOS

Artigos Populares