21 Jan, 2020 Última Actualização 5:10 PM, 20 Jan, 2020

Monsanto Verde reflecte um novo conceito de vida

 

Rui Gomes Pedro divide o seu tempo entre França e Portugal e entre a execução de projectos de gestão e a docência. Tem um currículo invejável no que diz respeito à sua formação académica e aos projectos desenvolvidos até ao momento. Está agora a desenvolver o projecto Monsanto Verde, implementado através de um modelo de gestão e desenvolvimento sustentável. Perto da vila histórica de Monsanto, na região central de Portugal, mais concretamente no concelho de Idanha-a-Nova, a sociedade Monsanto Verde desenvolve ‘villas’ adaptadas às diferentes estações do ano com base em materiais ecológicos e responsáveis no coração de uma herdade de exploração agrícola biológica e participativa, território de reserva natural, património protegido pela UNESCO. Este novo conceito de vida - combina economia solidária, partilha de espaços, cultura e aprendizagem - tem 40 casas ecológicas à venda em 240 hectares no coração de uma herdade totalmente certificada biológica. Estas casas utilizam materiais locais e respeitam os códigos do património rural da área. Reinventar a arte de viver o futuro é a palavra-chave do gestor professor Rui Gomes Pedro para este empreendimento, que combina know-how ancestral e tecnologias recentes. Mais do que apenas moradias, a Monsanto Verde propõe aos indivíduos que adoptem um verdadeiro modo de vida no modelo da rede de regiões orgânicas europeias (Regiões Ecológicas) com as suas próprias herdades biológicas e de produção activamente agrícola

Leiria 2020: Município de Leiria apresentou plano para o concelho

 

O ano ainda agora começou, mas já existe muito trabalho programado para esta década que se inicia. Pelo menos, assim o garante Gonçalo Lopes, presidente da câmara municipal de Leiria, na apresentação do Planeamento de Leiria 2020-2030. Este evento convocou todos os habitantes da cidade para assistirem à divulgação de uma série de medidas de melhoramento que a autarquia pretende tomar. A proximidade à capital portuguesa é um dos pontos que o Gonçalo Lopes considera ser chave, neste impulso da cidade durante os próximos anos. O presidente tem ainda um pensamento constante nas camadas mais jovens da população de Leiria, ao mesmo tempo que reconhece a importância de todos os emigrantes portugueses espalhados pelo mundo, e que serão chamados a fazer parte desta mudança, apostando os seus investimentos na região.

E se este evento decorreu, deve-se em grande parte à preocupação e interesse de Carlos Matos, cidadão de Leiria e empresário em França. Mesmo tendo estado cerca de 40 anos fora do país, Carlos não esquece as suas origens e realça a necessidade de divulgações como esta por parte das autarquias, para o conhecimento dos fins dados aos dividendos públicos. Finda a comunicação deste ano, o presidente da autarquia de Leiria deixou desde logo a promessa de uma repetição do evento para janeiro de 2021.

Em Pinela o barro está na essência da gente e daqui saem as tradicionais Cantarinhas

 

Pinela é a terra das Cantareiras. A olaria foi, em tempos, uma das actividades principais de extrema importância social e económica. Hoje, o barro já não é fonte de rendimento para a aldeia mas a sua importância não é menor. Faz parte da cultura e da história deste lugar. Julieta Rodrigues, artesã, não sendo uma cantareira tradicional, aprendeu a arte e continua a ir à origem à procura da matéria-prima para a sua louça. A artesã trabalha no atelier, hoje com instrumentos mais modernos que ajudam no processo produtivo mas que não fazem de ninguém um artista. O bem fazer vem do conhecimento, mas também da sensibilidade e dedicação que se coloca em cada peça. É das mãos da única artesã que trabalha o barro em Pinela, que saem as famosas cantarinhas, que dão o nome à mais importante feira anual do concelho de Bragança. Reza a tradição que no dia 3 de Maio, se deve oferecer uma cantarinha a quem se quer bem. Manter a tradição viva é um dos sonhos de Julieta Rodrigues, mas a tarefa é complicada. Para manter a história viva, desde 2015 que se ergueu o Centro Interpretativo da Cerâmica de Pinela. Aqui, Pinela mostra, preserva, valoriza e promove boa parte da sua história. É possível compreender como a cerâmica faz parte da essência da gente de Pinela, como a tradição das cantareiras ficou escrita na louça de barro.

Docapesca assinalou 59 anos de história e destacou desempenho positivo

 

A Docapesca comemorou 59 anos de existência, com excelentes objectivos alcançados. Entre outros, destaque para o recorde de 212 milhões de euros de valor de vendas em lota. Com os seus quase 60 anos de actividade, a Docapesca - Portos e Lotas SA tem desempenhado um papel essencial no sector das pescas e do mar e em toda a sociedade portuguesa, através da excelência do serviço público prestado no âmbito da primeira venda de pescado e actividades conexas. Um serviço fundamental para toda a fileira do pescado, tendo também, mais recentemente, atribuições na náutica de recreio, nas suas diferentes vertentes. A Docapesca tem uma presença indelével na história do sector das pescas, trabalhando permanentemente na sua modernização, pelo que tem apostado na melhoria da sua performance económico-financeira e na qualificação do seu capital humano, com o objectivo de servir mais e melhor o sector das pescas em Portugal, hoje e no futuro. A Gare Marítima de Alcântara acolheu a comemoração do 59º aniversário da Docapesca, reunindo o conselho de administração, funcionários, parceiros e clientes, num dia de especial importância para a empresa. A sessão contou ainda com a presença do Ministro do Mar Ricardo Serrão Santos, e do Secretário de Estado das Pescas José Apolinário.

Prodígio da natação precisa de apoios para sonhar com os Jogos Olímpicos

 

Catarina Mestre tem 18 anos, é nadadora de alta competição e representa, actualmente, o Clube de Natação de Lisboa. A paixão e a dedicação pela natação levam-na a alcançar resultados invejáveis. Nadadora especialista em costas, é campeã nacional de piscina curta de 50m costas e recordista regional sénior. É a primeira e única mulher a vencer a Travessia da Baía de Sesimbra, em 93 anos. É também vencedora de várias travessias na disciplina de águas abertas: SwimChallenge Cascais, Travessia de Mora, Travessia Barragem dos Minutos e Travessia Bessone Bastos. Sonha poder alcançar os Jogos Olímpicos de Tóquio e Paris, mas precisa de apoios que facilitem o seu trabalho diário.