04 Apr, 2020 Última Actualização 10:53 AM, 3 Apr, 2020

Portugueses de Valor 2018: Nomeado José Mendes

 

José Mendes nasceu em 1951, no concelho de Pombal. As recordações de Portugal são poucas, porque apenas com 14 anos emigrou para Paris. Nove meses depois de se instalar na capital francesa, o pai decide voltar para Portugal, mas José Mendes aqui se manteve, até hoje. Começou por trabalhar numa fábrica que fazia caixas para vinho, durante dois anos. Hoje, é o líder de um grupo que actua no sector do betão e que tem, para além de França, filiais em Madrid e em Marrocos. No total, emprega cerca de 80 colaboradores, a maioria portugueses.

Portugueses de Valor 2018: Nomeado José Manuel Fernandes

 

José Manuel Fernandes é natural de Vila Verde, cresceu e estudou no Minho, mostrando-se desde muito cedo interessado pelas questões locais e pelas preocupações da Comunidade. Ainda muito jovem fundou a associação Juvenil de Moure e dinamizou vários projectos.Foi presidente da câmara de Vila Verde , hoje e eurodeputado e integra o Partido Popular Europeu , sendo inclusive coordenador e porta-voz para as questões orçamentais.

Portugueses de Valor 2018: Nomeado Luís Gonçalves

 

Luis de Carvalho Gonçalves quando chegou a França, à região de Ardennes, tinha apenas 15 anos, depois de uma viagem com seu pai. Começou a trabalhar na construção civil e aos 18 anos forma-se profissionalmente na área de pichelaria e aquecimento.Em 1985 muda-se para Paris e 4 anos depois criava a sua empresa na mesma área.Considera ter levado e levar sempre bem alto o nome de Portugal, porquês interessa por tudo o que é português, passado presente, defendendo sempre a sua origem e cultura portuguesas.

Portugueses de Valor 2018: Nomeado José Rossado

 

José Rossado nasceu em Sintra, em 1954, e assume ter tido uma juventude feliz. Passando pelo teatro e pelo desporto, José Rossado teve a oportunidade de ser treinado pelo Professor Moniz Pereira e por Eduardo Cunha enquanto atleta do Sporting. Aos 19 anos, quase por acaso, e sem intenção de emigrar, chegou a França, onde se mantém até aos dias de hoje. A sua ligação à comunidade portuguesa sempre foi muito forte, tendo sido eleito em 1984, pela primeira vez, Conselheiro das Comunidades Portuguesas. Em 1985 fundou, juntamente com Jaime Alves, a ARCOP de Nanterre.

Portugueses de Valor 2018: Nomeado António Baptista

 

Tony Baptista emigrou com os pais para França quando ainda era pequeno. Tinha apenas 11 anos quando fez a mala, saiu da aldeia que o viu nascer e atravessou a fronteira com os pais e irmãos. Em Paris formou-se e passou uma boa parte da sua juventude, mas com 27 anos decidiu voar mais longe e correu atrás do sonhos americano. Viajou até aos Estados Unidos, instalou-se no país e criou uma família para lá do Oceano Atlântico. Tony Baptista já esteve ligado à construção civil, à restauração, fundou e dirigiu uma Escola de Karaté durante muitos anos e, graças a esse projecto, ajudou muitas crianças e jovens com problemas familiares que precisavam apenas de apoio.