30 May, 2020 Última Actualização 7:59 AM, 29 May, 2020

Portugueses de Valor 2020: Nomeada Clementina Jorge

 

Clementina Jorge nasceu na freguesia de São Simão de Litém, pertencente ao concelho de Pombal. Dos tempos de infância aí passado recorda os bailes e as festas da Igreja, as animações que existiam na altura. Nesse mesmo lugar completou a 4ª classe, o ensino máximo que ali existia até então. O destino da vida quis que Clementina emigrasse para Angola, e aqui conseguiu adquirir mais alguns conhecimentos. “Estudei à noite, mas trabalhei durante sete anos na fábrica de cerâmicas do meu sogro e aí é que ganhei conhecimentos de negócio”. Clementina esteve em Angola de 1962 até 1974, momento em que dá a independência das colónias e a liberdade em Portugal. Veio para Portugal com os filhos, mas trazia na bagagem um curso de confeção feito em Angola. Lá tinha a experiência de confeção de roupa por medida, mas em Portugal começou a fazer confeção, colocou inicialmente sete aprendizas, ensinou-lhes e o negócio evoluiu. Rapidamente passou a fazer peça de roupa por numeração e nos anos 80 já tinha uma coleção própria de 80 modelos e vendia por todo o país. “Já tinha 30 costureiras, mais os vendedores. Fiz durante os anos 80 e 90 a Feira Internacional de Lisboa”. Clementina sonhava apenas poder sair de São Simão de Litém para conseguir aprender mais, pois ali o seu futuro estava reservado ao trabalho nas terras. Lutou por isso, e conseguiu. Hoje, herdou a empresa do seu já falecido marido em Angola, juntamente com a filha. A cada dois meses tem de se deslocar a Angola, onde a empresa mantém actividade com 50 colaboradores. Como pessoa, valorizar a família, o trabalho, as pessoas e a honestidade. O seu lado solidário está bem vincado, através da ajuda a todos os colabores em Angola. “Nunca damos menos que duas ou três vezes o valor do ordenado mínimo. Funcionário nosso nunca ganha o ordenado mínimo, e tem restaurante para ir comer, pago por nós. Isso já é fazer bem às pessoas, porque em Angola existe muita fome”. Fora isso, Clementina faz várias ofertas a instituições de solidariedade.
Sobre os portugueses, considera-os trabalhadores, com muito valor e honestos.