30 May, 2020 Última Actualização 7:59 AM, 29 May, 2020

Portugueses de Valor 2020: Nomeado Fernando Mendes

 

Fernando Mendes é dos rostos mais acarinhados da televisão portuguesa. Nasceu em 1963, em Lisboa, e ainda hoje recorda as felizes memórias de brincar na rua. “Hoje perdeu-se isso”, lamenta. Jogar ao berlinde, à bola, lançar o pião, jogar à apanhada eram coisas que enchiam a alma das crianças. Fernando orgulha-se de ainda hoje manter amizades desses tempos de infância. Estreou-se no teatro em 1980, no Parque Mayer, na revista A Reviravolta. Seguiu-se passagens pelo Teatro ABC com algumas revistas e não mais parou a sua carreira. Nessa altura, surgiu também a oportunidade de fazer televisão com o programa O Foguete, com António Sala, Luís Arriaga e Carlos Paião. Entre novelas e programas, foram vários que o próprio Fernando já lhes perdeu a conta. Fica na memória os emblemáticos Nico D´Obra, 123 e Nós os Ricos. Foram mais de 20 revistas, dividindo assim o tempo e carreira entre teatro e televisão. A Prova dos Novos marcou de especial forma Fernando Mendes. “Foi importante para mim e para a malta nova do meu tempo, porque serviu de rampa de lançamento”. Há 16 anos que todos os dias podemos ver Fernando a apresentar o Preço Certo, na RTP1, sempre num registo único e característico. Também se tornou ‘empresário’ do teatro há quase 20 anos, levando pelo país todo produções próprias. Neste momento tem em cena a peça Insónia, que dura há mais de dois anos. “Ao longos destes anos fiz muita coisa, e felizmente que fiz”.

Com uma vida ligada às artes, o primeiro sonho de Fernando era ser jogador de futebol. “Tinha a sorte de conhecer as grandes figuras do futebol dessa época, como o Eusébio, Manuel Fernandes, Yasalde, porque eram amigos do meu pai. Também sou muito amigo de alguns deles. O sonho do teatro vem mais tarde. Mas, claro, sendo o meu pai do teatro esse bichinho entrou e como eu via peças quase todos os domingos acabei por me apaixonar”. Hoje, confessa que não tem grandes sonhos para a sua vida, apenas quer continuar a trabalhar, ter saúde e continuar a divertir os portugueses. O sucesso que alcançou, esse, esteve sempre assente em sinceridade, amizade e em nunca ter inveja, valores que lhe foram transmitidos em criança. Na sua vida, a solidariedade também não fica esquecida. Para além das mais de 100 associações que o programa Preço Certo já ajudou, Fernando faz questão de ajudar também ele pessoalmente. “Quando posso vou a instituições, nem que seja só dar um beijo, abraço e carinho, porque as faz felizes e já é ajudar. Monetariamente também ajudo de vez em quando algumas, mas o afecto é das coisas mais importantes, principalmente para os idosos. O meu programa também é visto pelas camadas jovens, mas é mais visto por pessoas idosas. Pelo carinho que têm por mim, sou obrigado a ir lá ter com eles e dar, pelo menos, um abraço”. Como não poderia deixar de ser, para si ser português “é um espectáculo”. Fernando gosta de Portugal e dos portugueses, mas deixa uma especial mensagem aos portugueses que estão espalhados pelo mundo. “Tiveram de sair do país, muitos deles à procura de melhores vidas, passando anos muitos difíceis. Para eles, um grande abraço que sei que também me consomem a nível televisivo”.