30 Mar, 2020 Última Actualização 10:43 AM, 30 Mar, 2020

Portugueses de Valor 2020 - Nomeada Maria Oliveira

 

Maria de Lurdes de Oliveira Marques, conhecida apenas por Maria Oliveira nasceu numa pequena aldeia do distrito de Aveiro, em 1959. São muitas as recordações que tem da infância, nomeadamente a Praia de Mira, o convívio com a família e amigo, as festas na aldeia e as brincadeiras de antigamente, bem diferentes das actuais. Lembra a união e o amor existente na família, que ainda hoje se mantém. “Ainda hoje nos amamos muito, não conseguimos viver muito uns sem os outros”. Começou por tomar conta dos filhos da sua irmã em Portugal, estando esta emigrada em França. “Houve um ano que a minha irmã não podia ir a Portugal ver os filhos, então decidi eu vir a França mostrar-lhe os filhos e passar um pouco de férias juntamente com o meu filho também. Cheguei a França, gostei do que vi e acabei por ficar”, conta. Maria Oliveira emigrou então para França, começando por tomar conta dos sobrinhos, mas rapidamente começou a trabalhar para uma condessa. Aí, tomava conta dos netos e da condessa também, desde que acabou por adoecer. Após o seu falecimento, rapidamente “encontrei logo outro trabalho, já faz agora 18 anos, também numa condessa. É um pequeno paraíso. Tomo conta do correio, vou passear com ela e escolho a roupa para vestir. Também me permite ocupar do Albano, meu marido, e dos negócios dele”. Os seus sonhos sempre foram viver o dia-a-dia. “Só pensava em ter saúde e ser feliz com família e amigos. Nunca tive grandes sonhos, a não ser ter uma casa para os meus filhos”. Já hoje, confessa ter um sonho: “poder ir tratar da minha mãe e viver com ela. Tem 93 anos, eu saí com 17 anos de casa e não pude ocupar-me do meu pai, gostava de poder tomar conta dela”. Para si, o essencial sempre foi não enganar as pessoas, ser leal e ajudar quem precisa. “Gosto de ajudar quem precisa, participar nas associações, por isso vamos sempre ao jantar da Santa Casa da Misericórdia, à associação Les Copains d´Hugo e a outras”. Para si é uma honra ser portuguesa “mas também adoro a França”.