10 Apr, 2020 Última Actualização 9:49 AM, 10 Apr, 2020

Portugal voltou a estar representado no Salão de Vinhos e Produtos da Terra de La Garenne-Colômbes

 

Pelo vigésimo ano consecutivo, La Garenne - Colombes recebeu o Salão dos Vinhos e Produtos da Terra. Cerca de 40 expositores apresentaram produtos de várias regiões francesas e Portugal também esteve representado através de duas empresas. Na bagagem os produtores levaram as melhores colheitas da região e convenceram mais uma vez os franceses através do paladar. As Caves de Santa Marta de Penaguião e a Salsicharia Bísaro da Aldeia de Gimonde já são presenças habituais neste certame. Os representantes das empresas acreditam que o evento é sempre uma boa oportunidade de exportar a qualidade portuguesa e aumentar os negócios entre França e Portugal.  

Empresa portuguesa Mineral System marcou pela primeira vez presença na Feira Maison & Objet

 

Apesar de ter um ADN predominantemente português, é preciso viajar até França para conhecer na íntegra a história da empresa Mineral System, situada actualmente em Viana do Castelo. A companhia foi fundada por um casal português radicado em França e é uma filial da Real Marbre, uma empresa especializada em mármores, granitos e pedras, localizada em pleno coração de Paris. Depois de consolidada a presença na capital francesa, Manuel e Cristina Soares decidiram viajar até às suas origens e apostar em algo novo, revolucionando o mundo da pedra. No Minho criaram uma fábrica conhecida pela técnica inovadora “Favo de abelha”, produzindo revestimentos em mármore e pedra de grandes formatos sem os habituais constrangimentos de peso e dimensão. Este ano a Mineral System marcou pela primeira vez presença na Feira “Maison & Objet”, realizada no Parque de Exposições Paris-Nord Villepinte, e deu a conhecer este produto a vários arquitectos e decoradores de vários pontos do mundo.

Entrevista ao Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva

 

Entre os dias 19 e 20 de janeiro o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, esteve em Paris. Durante a sua deslocação à capital francesa realizou um encontro com empresários e investidores portugueses da Diáspora, marcou presença Feira Internacional de Joalharia, visitou a Feira de moda Who’s Next e ainda a Feira internacional Maison & Objet, que recebeu este ano mais de 100 empresas nacionais. Mas antes de iniciar a missão de diplomacia económica, Augusto Santos Silva visitou os estúdios da Lusopress. Em entrevista ao Meio de Comunicação Social português radicado em França, abordou a participação cívica da Diáspora, falou sobre a questão do Brexit e a participação de Portugal no projecto europeu e falou ainda sobre o sucesso e integração dos portugueses residentes no estrangeiro. 

Mais de cem empresas portuguesas marcaram presença na Feira “Maison & Objet”

 

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, destacou o têxtil-lar como exemplo dos sectores “que mais se modernizaram em Portugal e mais se adaptaram às novas regras da competição internacional”. O número dois do Governo visitou as mais de 100 empresas de vários sectores presentes na feira Maison & Object, dez das quais integradas numa comitiva liderada pela Associação Selectiva Moda, no âmbito do projecto de internacionalização From Portugal.

“No sector têxtil-lar, Portugal está entre os dez países mais exportadores do mundo e no sector mobiliário estamos entre os 20 países mais exportadores do mundo. Portanto, já não é baixos salários, já não é baixos custos de produção, é sobretudo mais valor acrescentado”, afirmou o ministro em reacção às conclusões de um estudo do Observatório sobre Crises e Alternativas segundo o qual a consolidação da retoma económica está a criar precariedade. O barómetro, divulgado a 5 de janeiro, revelou que o predomínio da precariedade continua, com a redução do peso dos contratos permanentes no setor privado e a degradação dos salários. O chefe da diplomacia portuguesa argumentou que o modelo de crescimento de Portugal “já não é baseado em baixos salários” porque acrescenta “mais valor no processo de produção, no processo de comercialização e nos serviços” prestados aos clientes e declarou que “essa ideia antiga de que Portugal exportava, sobretudo, cortiça ou calçado ou vestuário é uma ideia justamente cada vez menos adequada à realidade”.

Na feira Maison & Objet, realizada entre os dias 19 e 23 de janeiro no Parque de Exposições de Paris Nord-Villepinte, estiveram várias empresas com o selo de qualidade “Made in Portugal”.

Jovem luso-descendente conquista sucesso ao volante de uma empresa de transportes em Paris

 

 

A empresa ELR Environnement está especializada na recolha, triagem e tratamento de resíduos foi criada em 2004, mas actualmente já tem uma frota composta por “dez camiões, 250 contentores e uma média de 10 máquinas para fazer reciclagem no armazém”. Para além da recolha, do tratamento e da reciclagem de resíduos, a ELR Environnement também aluga máquinas e contentores. De acordo com o empresário Rui da Rocha, a companhia é certificada, segue uma política ambiental e acompanha o tratamento dos resíduos desde a recolha até à fase final. Rui está consciente que trabalha num sector com muita concorrência, mas procura demarcar-se através da “simplicidade” e qualidade na prestação de serviços

O esforço e dedicação de Rui da Rocha já mereceu a atenção e o reconhecimento de Portugal. Em 2015 e 2016, o jovem empresário foi chamado para receber o Prémio Cotec no país, apresentando no seu escritório fotos com o antigo Presidente da República, Cavaco Silva, e com o actual Chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa.  Apesar de ter nascido em França, o empresário tem dupla nacionalidade e confessa-se português e francês em doses iguais.