Vista Alegre foi a primeira unidade industrial dedicada à produção de porcelana em Portugal
17 Jan, 2022 Última Actualização 10:16 AM, 14 Jan, 2022

Vista Alegre foi a primeira unidade industrial dedicada à produção de porcelana em Portugal

 

Fundada em 1824, a Fábrica de Porcelana da Vista Alegre foi a primeira unidade industrial dedicada à produção da porcelana em Portugal. Para a fundação e sucesso deste arriscado empreendimento industrial foi determinante o espírito de persistência do seu fundador, José Ferreira Pinto Basto.

Mais do que um espaço fabril, a Vista Alegre é hoje um conjunto arquitetónico de inegável interesse, repositório de memórias sociais e artísticas fundamentais para a construção de uma identidade nacional. Dotada das mais modernas tecnologias de produção, a fábrica de porcelana possui também 17 pintores manuais, responsáveis pela decoração das peças.

A combinação de estilos que a marca oferece, dos mais clássicos aos mais contemporâneos, adequa-se a um perfil de consumidores alargado. As linhas da Vista Alegre herdeiras de uma longa tradição cultural convivem com uma forte componente moderna, traduzida em inúmeras propostas assinadas por reputados criadores internacionais.

Como marca de prestígio que é, já foram muitos os prémios e reconhecimentos recebidos. Conservar e guardar a memória da produção da porcelana artística da Vista Alegre foi tradição na fábrica, inerente ao prestígio que a marca alcançou ao longo do século XIX.

Apesar de, desde o início da sua produção, ter colecionado os melhores exemplares, o primeiro museu organizado data de 1947 e foi instalado no palácio, junto da Capela da Vista Alegre. Em 1964 o museu foi ampliado e aberto ao público, mudando para os edifícios antigos da fábrica, local com espaço para alojar o espólio de peças de porcelana, documentos e desenhos. Estas instalações foram renovadas em 2001.

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Veja também...

Próxima paragem: Museu Nacional Ferroviário, Entroncamento - Parte 2

Sejam bem-vindos à segunda parte, e última, da conversa com Maria Teixeira, responsável pelo Museu Nacional Ferroviário do Entroncamento. Aqui o aviso repete-se e pedimos especial atenção aos comboios.
Ler notícia

Próxima paragem: Museu Nacional Ferroviário, Entroncamento - Parte 1

Eis que surge o Primeiro Bilhete de Comboio. Uma frase que literalmente regenerou os caminhos de ferro em Portugal. Uma miniatura de uma locomotiva a vapor e um comboio bem real, onde estão os aposentos da Rainha D.Maria Pia. Partindo dos primórdios dos caminhos de ferro, em 1856, há toda uma história para contar até à atualidade. Por isso, pare, escute e olhe, porque existem muitos comboios a circular. 

Ler notícia

Desde 1995, a Impacto Verde é uma referência na mediação imobiliária e um parceiro dos seus clientes

 

Pedro Lopes é o rosto e o pilar da afirmação da Impacto Verde no mercado. Entrou no mundo da mediação imobiliária em 1995 e, desde então, nunca mais parou. O arrendamento tem sido uma das grandes apostas da Impacto Verde ao longo dos anos.

Ler notícia

 

Estúdio e Redação

  • 19 Avenue James de Rothschild 77164 Ferrieres-en-Brie França
  • 0033 6 18 44 74 55
 

Subscreva a nossa Newsletter