Já provou um Jesuíta de Santo Tirso? Estão à sua espera na Pastelaria Moura
10 May, 2021 Última Actualização 6:16 PM, 7 May, 2021

Já provou um Jesuíta de Santo Tirso? Estão à sua espera na Pastelaria Moura

 

É conhecido como o doce típico de Santo Tirso ... e foi precisamente até esta cidade, no Norte de Portugal, que a Lusopress se deslocou. O objetivo? Conhecer o tão afamado Jesuíta.

É para lá das portas da Confeitaria Moura que se encontra o segredo do jesuíta. Sobre o nome? Há quem defende que se deve ao seu formato, uma imitação do trajar dos monges jesuítas, ou que a receita seja de origem conventual. O que se sabe é que este doce surgiu em Portugal pelas mãos de um pasteleiro espanhol, que deu nome à iguaria, depois de ter trabalhado numa comunidade de padres jesuítas, em Bilbao. Perdura até hoje a receita e a verdade é que quem nunca provou um jesuíta de Santo Tirso, não sabe o que está a perder. Com 128 anos de história, e já na 5ª geração da família Moura que se encontra a receita do jesuíta. A Confeitaria Moura nasceu em 1892 para adocicar os nossos dias. É verdade que produz uma enorme variedade de iguarias de receita ancestral, mas são os Jesuítas a grande especialidade. Dizem os especialistas, que até para comer o jesuíta existe uma maneira especial. A qualidade do jesuíta resulta da autenticidade do fabrico, da seleção criteriosa da matéria-prima e do ritmo controlado do tempo de produção. Aqui, não há matéria, nem produto acabado que, artificialmente, se resguarde em congeladores. Tudo quanto num dia se fabrica, nesse mesmo dia se esgota. Há quem afirme ser os melhores jesuítas do mundo. Por isso, só resta deixar um convite. Santo Tirso e a Confeitaria Moura estão de portas abertas.

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Veja também...

Joaquim Pires lamenta perda do chef e amigo Philippe da Silva

 

Philippe da Silva foi o primeiro chef português a receber uma estrela Michelin em França e um dos chefs de cozinha mais emblemáticos da cozinha francesa. Faleceu à cerca de um mês, com 67 anos, depois de dois meses de hospitalização por complicações da Covid -19. O chef português era dono do restaurante “Les Gorges de Pennafort” em Callas, no Sul de França. Nascido no Algarve, desde muito jovem que desenvolveu o gosto pela cozinha, tendo aprendido muito com a sua avó.

 

Ler notícia

Em França, a artista portuguesa Nair Pinto destaca-se na pintura e modelagem

 

Nair Pinto nasceu em Portugal, mais concretamente no concelho de Bragança. Foi para França ainda criança, e aí despoletou o seu interesse pelo desenho e a paixão pela arte. Mas, só mais tarde resolveu dedicar-se à pintura e à modelagem. Hoje, tem o seu atelier em Ozoir-la-Ferrière, nos arredores de Paris, onde dedica uma parte do tempo às suas obras.

Ler notícia

Empresa Forcefer, de Sernancelhe, aposta na "força do ferro" e já conquistou mercado francês

 

A Força do Ferro é a imagem de marca da Forcefer, empresa dedicada à engenharia metalomecânica, que surgiu em 2013, em Sernancelhe.Mostrando uma extraordinária capacidade de perceber as necessidades do setor, a empresa conseguiu rapidamente afirmar-se e ganhar mercado.

Ler notícia

Quinta Dona Adelaide tem nova dinâmica com hotel e spa dedicado ao azeite

 

Em Valpaços, está uma quinta que tem ganho uma nova dinâmica: a Quinta D. Adelaide. A propriedade foi comprada em 2015 por Maria do Céu Gonçalves e Álvaro Lopes. O casal, que também é dono da Quinta da Pacheca, avançou até Trás-os-Montes para desenvolver um conceito diferenciado.

Ler notícia

Clube Jovem: Sandiego leva-nos à praia da Mata, na Costa da Caparica

 

O Clube Jovem da Lusopress esteve, uma vez mais, nas mãos de Sandiego Carvalheira, que nos levou até à praia da Mata, na Costa da Caparica. Desde a fauna, a flora e as atividades que se podem fazer aqui, Sandiego falou das maravilhas desta praia.

Ler notícia