Portugueses de Valor 2021: Nomeado Daniel Bastos
18 Apr, 2021 Última Actualização 3:23 PM, 16 Apr, 2021

Portugueses de Valor 2021: Nomeado Daniel Bastos

 

Daniel Bastos nasceu em 1980 em Fafe e é a partir daqui que tem desenvolvido um trabalho notório. Começou desde cedo por sentir uma grande ligação à sua freguesia, Cepães, que fica sensivelmente a quatro quilómetros do centro da cidade de Fafe. “Uma freguesia com alguma ruralidade, mas com também com indústria têxtil”.

Daniel assume que teve uma juventude muito marcada pela ligação aos avós maternos, pilares importantes na sua educação e formação. Estudou em Fafe e, em 1998, ingressou na Universidade de Évora, onde se licenciou em História, via ensino, sendo ainda hoje professor de História no Colégio João Paulo II, em Braga, um colégio de referência no distrito. Tirou, também, um curso de teologia, não por uma questão de vocação, mas para alargar horizontes ao nível cultural. “Quando regressei a Fafe, estive profissionalmente como assessor durante vários anos aqui no Município de Fafe, na área da cultura e educação. Estive também ligado algum tempo ao Museu das Migrações das Comunidades”. Durante esse período, Daniel Bastos fez ainda uma pós-graduação em Ética e Filosofia Política na Universidade Católica, em Braga, onde paralelamente foi consolidando um percurso na área da investigação e na edição de livros, onde tem colaborado, concebido e realizado, sobretudo na história na emigração portuguesa.

Daniel é ainda colaborador assíduo com vários orgãos de comunicação da diáspora portuguesa, em diferentes regiões do globo. Daniel Bastos valoriza a sua ligação às suas raízes e à sua terra. “Gosto e valorizo o facto de ter nascido em Fafe, sou muito apegado às pessoas, à terra e sobretudo à família. O meu maior sonho sempre foi constituir família, e é ter uma vida tranquila. Para além disso, tenho um percurso e um prazer enorme em poder trabalhar de perto com as comunidades portuguesas. Tenho o privilégio e sorte de, ao longo desta última década, conhecer, trabalhar, poder editar e lançar obras junto da comunidade portuguesa em França, no Luxemburgo, na Bélgica e, mais recentemente no Canada e também no Brasil. Permite-me ter uma perspectiva diferente sobre as comunidades portuguesas, porque tenho uma perspectiva e visão de terreno.

Sou uma testemunha de todo o trabalho e toda a mais-valia de que as comunidades representam para o nosso país”. É com base na generosidade, trabalho, dedicação e solidariedade que Daniel Bastos tem guiado a sua vida. “Estes valores, que procuro nortear na minha vida familiar e pessoal, também os consigo encontrar, e vou fortalecendo, nestes contactos que tenho com os nossos compatriotas espalhados pelo mundo”. Daniel Bastos é ainda uma pessoa com fortes ligações ao mundo associativo. “Já fiz voluntariado, quando andava na Pastoral Universitária, na Madeira, junto de crianças carenciadas. Já participei várias vezes na campanha do Banco Alimentar. Estou muito inserido no meio associativo local, onde também fui colaborador e onde dei aulas a título gracioso na Universidade Sénior do Rotary Club de Fafe e vou procurando dar o meu contributo a nível local. Também colaboro com um conjunto de várias associações, espalhadas pela diáspora, muito com meios de comunicação social, como é o caso da Lusopress, que é um meio de comunicação social relevante em França. Recentemente, tive oportunidade de visitar o Museu da Emigração Açoreana, na ilha de São Miguel e fui convidado a fazer parte da associação”.

É grande a ligação às suas raízes e, por isso, sente um grande orgulho e honra em ser português. “Tenho orgulho nas raízes, na cultura, na história e na língua do nosso país, de uma forma cosmopolita, aberta, no sentido em que a história e o passado do nosso país rico deve projectar aquilo que é a construção do nosso presente e a afirmação do nosso futuro”. Daniel deixa ainda uma palavra de apreço para os compatriotas que estão espalhados pelos quatro cantos do mundo, pelo desenvolvimento que têm dado ao país e às suas terras.

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Veja também...

Município de Faro evolui com novos investimentos

 

Faro é uma cidade milenar, à beira do mar e da natureza, a (re)descobrir. Se quer viver experiências inesquecíveis num cenário único e rico em património histórico e natural, Faro é o destino ideal. Os costumes das suas gentes, a gastronomia local, os eventos culturais, a diversão noturna, a Ria Formosa e as suas praias fazem parte dos muitos encantos que a Capital do Algarve tem para lhe oferecer.

Ler notícia

Valongouro tem novo investimento e está na vanguarda tecnológica

 

Sediada em Valongo, a Valongouro tem levado o seu nome, cada vez mais, além-fronteiras. Foi criada em 1999, e ao longo destes 22 anos de existência no mercado viveu muitas transformações no sector da ourivesaria. Foram essas transformações que permitiram à Valongouro evoluir e adaptar-se às exigências do mercado.

Ler notícia

Especialista em leilões, a Avalibérica rege-se por rigor, isenção e profissionalismo

 

A história da Avalibérica começa a escrever-se em 1998, mas a sua experiência é mais antiga. Tudo começou quando Adelino Gonçalves saiu da tropa e respondeu a um anúncio para ser recuperador de crédito. Por força dos contactos estabelecidos no mercado, começou a perceber que havia negócio possível dento das vendas dos ativos que o tribunal recuperava. Não teve medo de arriscar e, passo a passo, foi trilhando o caminho da Avalibérica.

Ler notícia

Carlos Gonçalves em entrevista: "Portugal deve contar com as comunidades portuguesas"

 

Carlos Gonçalves, deputado do PSD eleito pelo Círculo da Europa é um dos rostos mais conhecidos e próximo das comunidades portuguesas. Numa grande entrevista à Lusopress, o deputado social democrata analisou as implicações da pandemia de Covid-19 no seu trabalho diário.

Ler notícia

Conheça o museu dedicado à vida e obra de Rafael Bordalo Pinheiro, genial artista português

 

Rafael Bordalo Pinheiro é uma figura marcante da cultura portuguesa da segunda metade do século XIX. Há muito quem ache que é o mais genial artista português de todos os tempos. Virtuoso desenhador, caricaturista, ceramista, colocou o seu imenso talento plástico ao serviço das suas convicções cívicas e políticas e as suas criações satíricas servem-nos hoje como serviram há 150 anos. A Lusopress veio conhecer um pouco da vida e obra deste artista português no Museu Bordalo Pinheiro, em Lisboa.

Ler notícia