'Confluences d´un pays à l´autre': um livro sobre a emigração portuguesa em França
09 Aug, 2022 Última Actualização 11:55 AM, 8 Aug, 2022

'Confluences d´un pays à l´autre': um livro sobre a emigração portuguesa em França

 

Armindo de Oliveira é natural da freguesia da Memória, em Leiria, e é precisamente de memória que vamos falar. Emigrante em França desde os anos 60, dedicou toda a sua vida ao setor bancário, entre o Banco Pinto & Sotto Mayor e a Caixa Geral de Depósitos.

Ligado aos números, com a chegada da reforma ganhou uma ligação especial às letras. Decidiu escrever um livro, chamando a si todas as memórias da emigração. Das recordações, ao papel. Foram surgindo as palavras, as frases e o livro foi ganhando forma. O livro permite descobrir a viagem de um jovem português que deixa o Portugal rural dos anos 60 para se juntar a uma França que descobre com os olhos de criança.

Um novo país, uma nova cultura à qual teve de se adaptar. Desde os bancos da escola primária à vida adulta, passando pela adolescência através de uma história sincera, viva e terna, levando o leitor a testemunhar, numa história intimista. A emigração portuguesa em França é o tema principal.

Num estilo de ensaio, são também evocadas as grandes mudanças políticas, sociais e económicas que afetaram os dois países, mas também os indivíduos. É disso exemplo a revolução dos Cravos, em abril de 1974 em Portugal, e a eleição de François Mitterrand em 1981 em França. Mais do que criar rivalidades, Armindo de Oliveira, procurou no livro aproximar as duas nações: França e Portugal.

De leitura fácil, o livro pretende cativar desde o primeiro momento, a atenção do leitor. O autor aproveitou o livro para fazer duas homenagens: aos emigrantes portugueses de frança, e à escola francesa. Escrito na língua francesa, o livro foi lançado em outubro de 2021 e está disponível nas livrarias.

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Veja também...

Museu Carmen Miranda, no Marco de Canaveses, reabriu com a exposição temporária "Antestreia"

 

O Museu Carmen Miranda, no Marco de Canaveses, reabriu com uma exposição temporária intitulada “Antestreia”, dedicada à artista e com a curadoria de António Ponte. O Museu Carmen Miranda encontrava-se encerrado para obras de requalificação e ampliação.

Ler notícia

Quinta de Santoinho celebrou os 50 anos de existência com grande festa para o público

 

Festa e arraial minhoto: é assim há 50 anos. A Quinta do Santoinho está de portas abertas desde 1972. O Santoinho nasceu pelas mãos de António Cunha, empreendedor no setor do turismo e transportes, ao sentir a necessidade de englobar num só espaço as vivências e a cultura do Minho.

Ler notícia

Arte para todos os gostos: as opções da Feira Nacional de Artesanato, em Vila do Conde

 

Os jardins da Avenida Júlio Graça, em Vila do Conde, voltaram a encher-se de artesanato. É aqui que decorre a 44ª edição da Feira Nacional de Artesanato. Das rendas de bilros, a feira foi abrindo portas a outros artesãos. Hoje, são cerca de 200 expositores, com artesãos de todo o país, que mostram o que de melhor fazem, com diferentes matérias-primas.

Ler notícia