Academia do Bacalhau de Paris retomou as tertúlias, com jantar na Casa Canelas
08 Aug, 2022 Última Actualização 11:55 AM, 8 Aug, 2022

Academia do Bacalhau de Paris retomou as tertúlias, com jantar na Casa Canelas

 

A Academia do Bacalhau de Paris retomou as suas tertúlias com um jantar na Casa Canelas. Depois de dezanove meses difíceis, o sentimento de alegria foi partilhado por todos na hora de reencontros e regresso a antigas rotinas.

 Dezanove. Sim, foram 19 meses sem tertúlias da Academia do Bacalhau de Paris, fruto de uma pausa forçada pela pandemia. Agora, foi tempo de reencontros, e regresso a antigas rotinas.

A Casa Canelas acolheu este que foi o primeiro jantar tertúlia. Ainda com poucos compadres, mas com muita ambição de retomar a anterior rotina da academia. O sentimento de felicidade pelo regresso era partilhado por todos.  “Sinto-me feliz e penso que os compadres e comadres igualmente. Há 19 meses que não podíamos ter eventos. Estávamos todos ansiosos por nos voltar a reunir e encontrar”, começou por dizer Manuel Soares, presidente da Academia do Bacalhau de Paris. Também o compadre Luís Gonçalves transpareceu a sua satisfação: “é uma alegria, e é para todos os que estão aqui. É uma necessidade ter uma vida social e os jantares da academia fazem parte da vida social”.

Foram meses difíceis para a academia, sem os habituais encontros, e que o diga Manuel Soares. “Foi muito complicado, porque tínhamos pouca comunicação, mas tínhamos a esperança de, mês após mês, poder voltar a reunir. A verdade é que se passaram 19 meses. Foi complicado”. Se a palavra dificuldade se impôs, outra se manteve: solidariedade. Apesar da paragem, a Academia do Bacalhau de Paris nunca esqueceu um dos seus pilares. “Ainda assim continuamos as acções solidárias. No ano passado fizemos a campanha de Natal onde fizemos cerca de 13 mil e 500 euros. Os poucos eventos que tivemos serviu para ajudar quem nos solicitou”, revelou Manuel Soares. “Nunca esquecemos o lado solidário, e os pedidos foram chegando à nossa direcção. Tentamos dar caminho a pessoas que estavam com necessidade e os donativos surgiram tanto em 2020 como este ano. Continuaram a existir acções solidárias. Talvez menos, mas continuamos”, acrescentou o compadre Luís Gonçalves.

Este jantar, aliás, foi o primeiro a ter a presença do Cônsul Carlos Oliveira, que se mostrou satisfeito pelo convite. “Estou aqui com muita satisfação. É conhecido o convívio e a qualidade dos vários intervenientes da academia. Eu sabia as actividades que desenvolviam. O Covid prejudicou isso, mas estou entusiasmado de ter sido convidado e de participar. Isso permite-me um contacto com a comunidade, que até aqui não tinha sucedido muito. No Consulado temos, sobretudo, trabalho administrativo, mas é bom saber o que se passa com a comunidade, com os portugueses que estão nos seus diferentes ramos de negócio. Gosto de saber o que se está a passar, de saber o sentido da comunidade. Este é um momento em que isso é mais fácil de se fazer, e isso para mim é importante”.

Agora que foi dado o arranque para as actividades da academia, os próximos eventos estão já marcados. Dia 5 de Novembro terá lugar a próxima tertúlia, e dia 4 de Dezembro será a Gala de Natal da ABP. A associação irá manter, uma vez mais, a realização da campanha solidária de Natal, que se irá realizar na última semana de Novembro. “Temos de esperar o melhor, não esquecendo a época que ainda vivemos, mas temos de manter os objectivos, porque as necessidades são cada vez maiores. Infelizmente a pandemia trouxe mortes, sofrimento e miséria, e o nosso objectivo é fazer o máximo para ajudar os mais necessitados”, concluiu Luís Gonçalves.

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Veja também...

Museu Carmen Miranda, no Marco de Canaveses, reabriu com a exposição temporária "Antestreia"

 

O Museu Carmen Miranda, no Marco de Canaveses, reabriu com uma exposição temporária intitulada “Antestreia”, dedicada à artista e com a curadoria de António Ponte. O Museu Carmen Miranda encontrava-se encerrado para obras de requalificação e ampliação.

Ler notícia

Quinta de Santoinho celebrou os 50 anos de existência com grande festa para o público

 

Festa e arraial minhoto: é assim há 50 anos. A Quinta do Santoinho está de portas abertas desde 1972. O Santoinho nasceu pelas mãos de António Cunha, empreendedor no setor do turismo e transportes, ao sentir a necessidade de englobar num só espaço as vivências e a cultura do Minho.

Ler notícia

Arte para todos os gostos: as opções da Feira Nacional de Artesanato, em Vila do Conde

 

Os jardins da Avenida Júlio Graça, em Vila do Conde, voltaram a encher-se de artesanato. É aqui que decorre a 44ª edição da Feira Nacional de Artesanato. Das rendas de bilros, a feira foi abrindo portas a outros artesãos. Hoje, são cerca de 200 expositores, com artesãos de todo o país, que mostram o que de melhor fazem, com diferentes matérias-primas.

Ler notícia