Joaquim Pires lamenta perda do chef e amigo Philippe da Silva
13 Aug, 2022 Última Actualização 11:55 AM, 8 Aug, 2022

Joaquim Pires lamenta perda do chef e amigo Philippe da Silva

 

Philippe da Silva foi o primeiro chef português a receber uma estrela Michelin em França e um dos chefs de cozinha mais emblemáticos da cozinha francesa. Faleceu há cerca de um mês, com 67 anos, depois de dois meses de hospitalização por complicações da Covid -19. O chef português era dono do restaurante “Les Gorges de Pennafort” em Callas, no Sul de França. Nascido no Algarve, desde muito jovem que desenvolveu o gosto pela cozinha, tendo aprendido muito com a sua avó.

A Lusopress foi até ao sul de França e conversou com Joaquim Pires, empresário, cônsul honorário de Portugal em Nice e amigo de Phillipe da Silva. Além da amizade, Joaquim Pires era especial admirador das suas criações gastronómicas. Em entrevista, recordou algumas histórias vividas com o chef Philippe da Silva, entre as quais a forma como conheceu Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos. Joaquim Pires lembrou que o chef Philippe da Silva era uma pessoa apaixonada pelo que fazia, um homem simples e generoso e que ajudava muitas associações, como a do ex jogador francês Zinedine Zidane.

A Assembleia da República aprovou, por unanimidade, um voto de pesar pela morte de Philippe Da Silva, uma homenagem pela sua carreira profissional e por ser um orgulho para Portugal e para os portugueses da diáspora.

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Veja também...

Museu Carmen Miranda, no Marco de Canaveses, reabriu com a exposição temporária "Antestreia"

 

O Museu Carmen Miranda, no Marco de Canaveses, reabriu com uma exposição temporária intitulada “Antestreia”, dedicada à artista e com a curadoria de António Ponte. O Museu Carmen Miranda encontrava-se encerrado para obras de requalificação e ampliação.

Ler notícia

Quinta de Santoinho celebrou os 50 anos de existência com grande festa para o público

 

Festa e arraial minhoto: é assim há 50 anos. A Quinta do Santoinho está de portas abertas desde 1972. O Santoinho nasceu pelas mãos de António Cunha, empreendedor no setor do turismo e transportes, ao sentir a necessidade de englobar num só espaço as vivências e a cultura do Minho.

Ler notícia

Arte para todos os gostos: as opções da Feira Nacional de Artesanato, em Vila do Conde

 

Os jardins da Avenida Júlio Graça, em Vila do Conde, voltaram a encher-se de artesanato. É aqui que decorre a 44ª edição da Feira Nacional de Artesanato. Das rendas de bilros, a feira foi abrindo portas a outros artesãos. Hoje, são cerca de 200 expositores, com artesãos de todo o país, que mostram o que de melhor fazem, com diferentes matérias-primas.

Ler notícia