24 Oct, 2020 Última Actualização 4:25 PM, 23 Oct, 2020

Peregrinação em Fátima decorreu sem atingir limite de peregrinos no recinto

O Santuário de Fátima fez um balanço positivo da Peregrinação Internacional Aniversária de outubro, que hoje termina, durante a qual não foi atingido o limite de 6.000 peregrinos que tinha sido estipulado.

“Foi visível que as medidas adicionais (ao plano de contingência no âmbito da covid-19) foram aplicadas conforme tínhamos previsto”, disse à agência Lusa a porta-voz do Santuário de Fátima, Carmo Rodeia. Na segunda-feira, participaram nas celebrações 4.500 pessoas e, hoje um pouco menos - cerca de 4.000.

Carmo Rodeia lembrou que “a configuração de 6.000 pessoas colocadas estativamente no recinto de oração”, dentro de círculos que garantem a distância física, fez parte de um conjunto de medidas adicionais ao plano de contingência para a peregrinação de outubro. “A partir de agora, regressamos à normalidade do nosso plano de contingência, sendo certo que todas medidas que estão lá previstas irão sendo implementadas consoante a exigência do momento”, explicou.

Os círculos desenhados no chão vão “desaparecer com o tempo”, mas o santuário continuará a garantir “uma ocupação do espaço em segurança”, frisou.

Carmo Rodeia agradeceu “o comportamento exemplar dos peregrinos”, quer dos que se deslocaram à Cova da Iria, quer dos que ficaram em casa, e também de todos os que se disponibilizaram para ser acolhedores no recinto de oração. “Foram mobilizadas 80 pessoas expressamente para esta função de acolhimento no recinto, seja nas entradas, seja depois no espaço do recinto, para encaminhar as pessoas para os seus lugares”, afirmou.

Também a GNR fez um balanço positivo desta operação, não tendo registado qualquer incidente, disse à Lusa o capitão das Relações Públicas, David Ferreira. “O foco era garantir que não havia ajuntamentos e que os peregrinos cumpriam o distanciamento físico e o balanço dos três dias [de domingo a hoje] é francamente positivo”, notou.

De acordo com o responsável, a GNR apenas teve alguma “ação preventiva” e de sensibilização para desfazer algumas filas que se foram formando nas portas de entrada do recinto mais concorridas. “Os peregrinos cumpriram as regras e acataram as indicações. É motivo para ficarmos felizes”, acrescentou David Ferreira.

A Peregrinação Internacional Aniversária de outubro, que decorreu segunda-feira e hoje, foi presidida pelo presidente da Conferência Episcopal Portugal e bispo de Setúbal, José Ornelas.

Fonte: LUSA

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Outras Notícias

Mónica Vieira-Auer vence 2.ª edição do Prémio IN/Ferreira de Castro

Mónica Vieira-Auer, a residir em Lauf an der Pegnitz, na Alemanha, é a vencedora da 2.ª edição do Prémio Imprensa Nacional/Ferreira de Castro, atribuído pela Imprensa Nacional Casa da Moeda em parceria com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, no âmbito da ação cultural junto das comunidades portuguesas.

Ler notícia

Portugal e Luxemburgo trabalham para travar exploração de trabalhadores

O Governo do Luxemburgo “não vai tolerar” casos de exploração de portugueses no país e está a trabalhar com o Governo de Portugal para que não se repitam, afirmou hoje em Lisboa o ministro dos Negócios Estrangeiros luxemburguês.

Ler notícia

Festa da Castanha de Sernancelhe em edição digital

Festa da Castanha de Sernancelhe em edição especial. Este ano será em formato digital mas vai manter o sentido cultural, o dinamismo económico e a aposta na marca Terra da Castanha.

Ler notícia

Lusodescendentes querem que Portugal pare de dizer "diáspora"

Historiadores, linguistas, políticos e jornalistas juntam-se, na terça-feira, em Lisboa, para discutir o termo "diáspora", numa iniciativa da Associação Internacional dos Lusodescendentes (AILD), que quer banir o seu uso quando associado às comunidades portuguesas.

Ler notícia

Governo português anuncia criação de consulado honorário em Malaca

O Governo português anunciou hoje a criação de um consulado honorário em Malaca, Malásia, onde existe um legado patrimonial e imaterial desde a chegada de Afonso de Albuquerque, em 1511.

Ler notícia