Alunos lusófonos em Londres fizeram progresso na última década
18 Jan, 2021 Última Actualização 5:09 PM, 15 Jan, 2021

Alunos lusófonos em Londres fizeram progresso na última década

Os alunos lusófonos melhoraram os resultados escolares na última década, em Lambeth, município londrino onde está concentrada uma grande comunidade portuguesa, apesar de ainda terem taxas de sucesso inferiores a outros grupos étnicos, mostra um estudo da autarquia.

Na última década, a taxa de sucesso dos alunos entre os 5 e 7 anos melhorou 35%, passando de 32%, em 2000, para 67%, em 2019, e melhorou 33% nos resultados dos exames do ensino secundário (15-16 anos), de 17%, em 2000, para 50%, em 2019. No entanto, entre os 7 e os 11 anos, não houve progresso, mantendo-se a taxa de sucesso nos 55%, refere o mesmo estudo, que produzido para a autoridade local. 

Lambeth estima que 35 mil dos 328 mil habitantes falam português, incluindo não só portugueses, mas também brasileiros e angolanos, razão pela qual decidiu recolher dados estatísticos sobre aquela comunidade, o que não acontece a nível nacional ou noutras autarquias. 

Os dados mostram que os alunos lusófonos têm resultados abaixo das médias nacionais e locais, e desempenhos inferiores aos outros grupos étnicos de Lambeth, como crianças de origem africana ou caribenha ou europeus de outras nacionalidades.

Um dos autores do estudo, Feyisa Demie, professor da universidade de Durham, apontou como fonte dos problemas a falta de domínio da língua inglesa, quando os alunos lusófonos entram para a escola, o que afeta o seu sucesso escolar. 

Segundo o estudo, em 2019, 89% das crianças lusófonas, entre os 5 e 7 anos, não era fluentes em inglês, percentagem que baixou para os 78%, entre os 7 e os 11 anos, e para 50%, entre os 15 e os 16 anos.  “O estudo mostra que os alunos lusófonos fizeram progresso e que podem acelerar quando conseguem dominar a língua inglesa”, vincou, durante um ‘webinar’ organizado hoje pelo grupo Migrantes Unidos. 

Outros fatores apontados para a falta de sucesso escolar são os rendimentos baixos das famílias ou a falta de envolvimento dos pais na educação, seja por falta de qualificações ou por não conseguirem comunicar com os professores em inglês. 

Cerca de 7% dos alunos em Lambeth são lusófonos, tendo o número quase duplicado na última década, de 1.386, em 2000, para 2.620, em 2019, embora tenha vindo a cair desde o pico de 2.811, registado em 2015. 

Este ano, o município lançou um projeto intitulado “Somos Lambeth” com o objetivo de melhorar o sucesso escolar dos alunos lusófonos. “A única forma de resolver os problemas e melhorar o futuro dos jovens portugueses é ter uma abordagem de diálogo e de parceria. (…) Estou disposto trabalhar como for preciso para resolver estes problemas”, prometeu.

FONTE: LUSA

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Outras Notícias

PSD questiona MNE sobre produtividade dos postos da rede consular portuguesa

Os deputados social-democratas eleitos pelos círculos da Emigração, José Cesário e Carlos Alberto Gonçalves, enviaram 118 requerimentos ao ministro dos Negócios Estrangeiros a questionar sobre a produtividade dos postos da rede consular portuguesa para saberem que melhorias poderão propor.

Ler notícia

Presidenciais: Autoridades britânicas autorizam voto de portugueses durante confinamento

Os regimes de confinamento no Reino Unido permitem aos portugueses saírem de casa para votar para as presidenciais nos consulados de Londres, mesmo que tal implique viajar centenas de quilómetros, confirmaram fontes oficiais das autoridades britânicas.

Ler notícia

Portugueses são dos que mais saem para trabalhar noutro país da UE – Relatório

Portugal foi um dos cinco países da União Europeia (UE) de onde saíram mais trabalhadores para outro Estado-membro em 2019, para outros como França e Alemanha, a maioria altamente qualificados, segundo um relatório da Comissão Europeia hoje divulgado.

Ler notícia

Associação portuguesa em França lança campanha inédita de recolha de fundos

A Vivências do Minho, sediada em Tourcoing, França, lançou uma campanha para recolher fundos, mas sobretudo para angariar novos membros e sensibilizar para a importância da cultura portuguesa, anunciou hoje uma responsável da associação.

Ler notícia

Covid-19: Consulado procura solução para portugueses que querem regressar a Macau

O Consulado Geral de Portugal em Macau disse hoje que está a desenvolver contactos com as autoridades locais para ajudar a regressar os portugueses residentes na região administrativa especial chinesa.

Ler notícia