Consulados reforçados se retoma levar à rutura - Governo
28 Oct, 2021 Última Actualização 6:00 AM, 27 Oct, 2021

Consulados reforçados se retoma levar à rutura - Governo

A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas admite reforçar os meios dos consulados portugueses no estrangeiro se existirem situações de rutura nesta fase de retoma dos serviços que ficaram pendentes durante o confinamento devido à covid-19.

“Situações pontuais em que haja quase uma rutura, ou mais dificuldades, como no Luxemburgo, é claro que temos de considerar o reforço, que foi o que fizemos nesse caso”, disse em entrevista à agência Lusa. No Consulado-Geral de Portugal no Luxemburgo o horário de atendimento vai ser alargado e reforçados os meios, para dar resposta aos pedidos pendentes devido à pandemia.

Os problemas neste consulado já tinham sido identificados e agravaram-se com a retoma da atividade que tinha ficado suspensa durante o confinamento para prevenir a covid-19. “Nas situações em que nos são reportados problemas maiores, como no Luxemburgo, onde já havia dificuldades anteriormente, fizemos um reforço das pessoas e um alargamento de mais 35 horas semanas, que inclui o sábado. Já era um consulado com necessidades”, esclareceu. Berta Nunes diz que esta é a única situação que, até ao momento, exigiu uma intervenção, mas garante estar atenta.

Durante o período do confinamento, adiantou, os consulados optaram por fazer mais trabalho de BackOffice, resolver problemas pendentes e situações urgentes e, ao mesmo tempo, ajudar as pessoas com dificuldades, empresas com trabalhadores retidos ou as próprias pessoas retidas. "Agora estão a retomar a normalidade. É evidente que todas as marcações que existiram nesse período não foram atendidas e o critério é fazer as remarcações todas, o que exige um esforço adicional”, declarou.

Berta Nunes disse ainda que teve conhecimento de atrasos no pagamento das reformas a portugueses residentes na Austrália, o que se deveu à forma como este é realizado. “O pagamento ainda é feito por cheque, enviado pelos correios, que não funcionaram e a situação já foi reportada à Segurança Social para encontrarem outra forma de pagamento que não implique enviar um cheque pelo correio, o que depois tem este tipo de problemas.

FONTE: LUSA

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Outras Notícias

OE2022: Eleições para Conselho das Comunidades vão ter projeto-piloto de voto eletrónico

O Governo prevê realizar um projeto-piloto de voto eletrónico à distância nas eleições para o Conselho das Comunidades Portuguesas, que se realizam em março de 2022, segundo a proposta do Orçamento do Estado (OE2022).

Ler notícia

Expositores portugueses na feira internacional das industrias do ambiente em Lyon: POLLUTEC.

A feira bienal internacional POLLUTEC que terá lugar de 12 a 15 de Outubro no Parc des Expositions Lyon Eurexpo, é uma das maiores exposições mundiais do sector do ambiente (equipamentos, tecnologias e serviços ambientais), que reúne um universo de importantes empresas fabricantes de equipamentos e processos industriais assim como empresas de serviços industriais.

Ler notícia

Sobe número de eleitos regionais e departamentais de origem portuguesa em França

Após as eleições regionais e departamentais em França, a comunidade portuguesa está representada com cerca de 20 eleitos nos conselhos departamentais e mais de 10 nos conselhos regionais, uma subida em relação a 2015, segundo fonte oficial.

Ler notícia

Governo eleva classificação dos vice-consulados de Portugal em Toulose e em Vigo

O vice-consulado de Portugal em Toulouse será elevado a consulado e o vice-consulado de Portugal em Vigo passará a consulado-geral, no âmbito da reorganização da rede externa prevista no novo Regulamento Consular, anunciou hoje o Governo.

Ler notícia

Organização portuguesa no Canadá distribui 45 bolsas de estudo no valor de 47,5 mil euros

Uma organização portuguesa no Canadá distribuiu na semana passada 45 bolsas de estudo a alunos lusodescendentes do ensino pós-secundário no valor de aproximadamente 70 mil dólares canadianos (47,5 mil euros).

Ler notícia