26 May, 2019 Última Actualização 4:14 PM, 23 May, 2019

Portugueses de Valor 2018: Nomeado Manuel Jorge Francisco

 

 

O pai de Manuel Francisco já era emigrante. Quando regressou de França, decidiu criar uma cerâmica em Portugal,mas "não teve sucesso porque naquela altura não havia dinheiro para construir no país" Em 1950 decidiu novamente emigrar e viajou até Angola para trabalhar na construção civil. O filho , Manuel Francisco , acabaria por se juntar mais tarde, quando fez 16 anos. Natural de São Simão de Litém , aquela seria a primeira de muitas viagens que faria entre Leiria e Luanda.

Portugueses de Valor 2018: Nomeado Joaquim Barros

 

 

Quando Joaquim Barros nasceu em Viana do Castelo ouviu provavelmente aquele tilintar dos canteiros a bater na pedra, como um chamamento anunciado por sinos de cristal. Reza a história que os primeiros mestres vieram das regiões do Minho e do Douro precisamente, daquele norte de Portugal de séculos atrás. Traziam a arte da cantaria - a talha em pedra, a matéria dura e seca transformada em beleza e dando testemunho de vida. Em 1995, seis anos depois de ter chegado a França, criou a primeira empresa. O início dos anos 90 foi uma época negra para o sector da construção, mas Joaquim não baixou os braços e lançou-se por sua conta. A primeira obra da Batipose foi a Maison des Avocats, em Paris.

Portugueses de Valor 2018: Nomeado David Fernandes

 

 

David Fernandes, jovem lusodescendente, quis seguir o mesmo percurso profissional do pai. Há cerca de três anos e meio comprou-lhe a empresa com 74 trabalhadores , na área da construção e renovação de habitações sociais , que hoje faz cerca de 20 milhões de euros de volume de negócios.Apesar de ter nascido em França, herdou a cultura e as raízes dos seus pais , por isso sente-se português e francês.

Portugueses de Valor 2018: Nomeado André Coroa

 

 

André Coroa nasceu a 23 de Outubro de 1984, na Trofa. Com apenas 18 anos começou a trabalhar na Continental, empresa de fabrico de pneus, durante nove meses. Depressa concluiu que esta atividade não o preenchia nem o realizava profissionalmente. Durante os seis anos seguintes trabalhou como comercial, tendo aprendido muito e ganho experiência. O ano 2010 muda a sua vida. Surgiu uma oportunidade, para França, de um pedido de trabalhadores. André Coroa consultou algumas empresas de trabalho temporário, que não lhe deram qualquer resposta. Decidiu então fazê-lo por iniciativa própria, começando aí o desafio de empresário, ligado ao recursos humanos. O passar dos anos ditou que o grupo ganhasse outra dimensão, com novas áreas de atividade.

Portugueses de Valor 2018: Nomeado Rui Gameiro

 

 

Rui Gameiro nasceu em Lisboa no ano de 1956. Os seus pais são de Santiago de Litém, uma freguesia do concelho de Pombal. É deste local que detém as maiores recordações da sua infância. Com 14 anos foi para Lisboa, onde trabalhava de dia e estudava durante a noite. Permaneceu na capital portuguesa até o pai o vir buscar para Paris, juntamente com o seu irmão. Em território francês trabalhou em grandes casas de comércio até decidir, em 1981, criar a sua própria empresa. Tinha 25 anos, e tornou-se empresário, juntamente com um sócio, no setor do comércio e restauração. Durante toda a sua vida trabalhou 34 anos por conta própria, estando neste momento aposentado. Continua a gostar imenso do seu país, onde aqui passa grandes temporadas durante o ano.