26 May, 2019 Última Actualização 4:14 PM, 23 May, 2019

Nomeada Portugueses de Valor 2019: Cidália Lourenço

 

 

Cidália Lourenço nasceu em Faro, corria o ano de 1966. São muitas e boas as recordações que tem da infância, passada ainda em Portugal. Desde os 3 anos que os pais a deixaram a morar com os avós, e por isso cresceu no campo, junto dos animais. “Os meus avós eram pessoas que trabalhavam no campo e tenho recordações fantásticas desses tempos. Lembro-me de ir para a escola de bicicleta, de passar nas ruas pequenas, pelos campos. Todos os alunos estavam na mesma turma. Recordo-me de festas antigas, de tradições”. Cidália chegou a França com 10 anos, altura em que os pais decidiram levá-la para junto da família. Tinha terminado em Portugal a 4ª classe, mas em França continuou os seus estudos. Teve na mente a ideia de seguir Medicina, apesar de sempre ter manifestado gosto pelas línguas. “Quando chegou o momento de me inscrever em Medicina, vi que eram muitos anos de estudos, tive medo de não chegar até ao fim e dedica inscrever-me em Comércio Internacional”.

Começou por trabalhar numa empresa do ramo dos brinquedos, pois precisavam de alguém que falasse correctamente italiano, como era o seu caso. Trabalhou aí vários anos, entrou com centrais de compras, como o Carrefour e o Leclerc, a negociar e a criar coleções. Ao fim de oito anos foi contactada para entrar na área da decoração de jardins e aí trabalhou muito com Portugal, comprando muita cerâmica para jardim. “Isto foi há 20 anos atrás, e comecei a ir para a China, mercado que conheço muito bem, estive praticamente um ano lá a morar, e importo imensa mercadoria da China”. Há 10 anos, Cidália Lourenço criou a sua própria empresa, no ramo do jardim e decoração de interiores, e hoje trabalha praticamente com todas as cadeias de compras francesas. Para além disso, tem também uma empresa sediada em Hong Kong, na China.

Cidália revela que o seu sonho é regressar e viver em Portugal, gerindo as suas empresas através da sua pátria. Valoriza o respeito pelos outros, colocando a família em primeiro lugar, assim como as pessoas com quem trabalha ou que a acompanham de alguma forma. “Isso sempre me trouxe muito sucesso porque sou reconhecida no mercado como uma pessoa íntegra e de palavra”. Ajuda crianças na China, através de uma associação de um amigo francês, onde constroem escolas em aldeias muito recuadas. “Tenho dado apoio nesse sentido, pois é um país no qual eu vou muito e ao qual eu devo muito. Eu também conheço a pessoa, sei para onde vão os fundos e fiz isto de forma totalmente privada e não através da minha empresa”. Cidália tem muita honra em ser portuguesa. Embora seja casada com um português nascido em França, nunca optou pela nacionalidade francesa. “Considero-me patriota quando vejo a bandeira portuguesa, quando oiço o hino nacional, quando ouço falar português”.

Para terminar, Cidália deixa uma mensagem de incentivo a todos os portugueses: “temos de ter um sonho e tentar alcançá-lo, mas sempre respeitando aqueles que nos acompanham, que estão ao nosso lado e nos ajudam. Eu, sendo portuguesa, vivendo em Paris, achei sempre que era importante saber onde nós nascemos e quem nós somos. É importante nunca esquecer que somos portugueses”.