16 Jun, 2019 Última Actualização 8:00 AM, 16 Jun, 2019

Nomeado Portugueses de Valor 2019: Manuel Silva Reis

 

 
Manuel Silva Reis nasceu na cidade do Porto e o seu nome está intimamente ligado à empresa mais antiga de vinhos em Portugal: a Real Companhia Velha. Oriundo de uma família tradicional, Manuel é terceira geração de uma família ligada ao vinho. “O meu avô esteve ligado ao vinho durante toda a sua vida, até interromper quando foi combater. O meu pai esteve 50 anos ligado ao Vinho do Porto, e eu já vou no meu quadragésimo ano”. Estudou ate ao 7º ano, ano que, por força da revolução do 25 de Abril, a família foi obrigada a emigrar. O seu pai era um dos accionistas do Banco Fernandes Magalhães e o sócio maioritário da Real Companhia Velha. Fomos ocupados pelos militares que colocaram a nossa família na fronteira. Estivemos três anos emigrados forçosamente. Fiz alguns cursos lá fora e acompanhei o meu pai nos negócios. Quando retomámos a empresa eu já tinha 18 anos e, como o meu pai não tinha directores, pediu-me para ficar ao lado dele. Comecei a minha carreira ao lado do meu pai no dia 1 de Outubro de 1978. A empresa na altura estava com dificuldades, mas com o tempo e apoio conseguimos fazer um caminho”.
 
Com uma vida ligada incondicionalmente aos vinhos, também os seus sonhos se confundem com os da empresa. “Conseguir ter uma empresa bi-centenária, e mantê-la activa e presente no mercado já é um sonho cumprido. Outro sonho que nós tínhamos, e que está a ser concretizado, foi crescer nos vinhos de denominação - Origem Douro. Com muito esforço e dedicação, hoje somos os maiores proprietários da região do Douro. O meu outro sonho, era conseguir que a geração dos meus filhos e sobrinhos, conseguissem dar seguimento ao carácter familiar e português que a empresa tem”. O seu lado profissional e pessoal assenta na honestidade e integridade que implementa todos os dias, primando por evitar sempre os conflitos.
 
Manuel Silva Reis foi o fundador da Associação Nacional de Jovens Empresários, onde fez grandes organizações como o Portugal Fashion, a criação da Fundação da Juventude e do Ministério da Juventude. É ainda mesário da Santa Casa da Misericórdia, e apoia muito os projetos sociais do Hospital de Santo António. “Tento ao máximo apoiar causas sociais”. Tem um grande orgulho em ser português e confessa que quando olha a bandeira portuguesa emociona-se. “Com estas questões da globalização, esquecemo-nos várias vezes do patriotismo. Portugal é Portugal, e para mim será sempre Portugal. Hoje em dia ser português é um orgulho e uma virtude. É uma ambição que cada um tem de ter, para fazermos este país melhor e mais justo, para que o mundo olhe para nós com respeito e admiração”.