16 Jun, 2019 Última Actualização 8:00 AM, 16 Jun, 2019

Nomeado Portugueses de Valor 2019: Raul Castro

 

Raul Castro nasceu em 1948 no concelho de Abrantes, mas hoje é através de Leiria que Portugal o conhece. Da infância recorda a liberdade e a segurança que existia no seu tempo, muito diferente da infância dos seus netos, actualmente. Fez carreia na Autoridade Tributária, onde chegou a sub-director geral, um cargo equiparado por ter sido director de Finanças de Lisboa. Raul Castro teve ainda alguma experiência autárquica enquanto presidente da Câmara Municipal da Batalha antes de ingressar no Município de Leiria. Primeiro, como vereador por dois mandatos e depois como presidente da autarquia, cargo que desempenha há nove anos.
 
Para Raul Castro, sonhar é das melhores coisas da vida. “É simples, acontece e não se paga imposto. Tambám serve para os grandes desafios que nós fazemos. Até nas funções em que estou, sonhamos com coisas e nasce um desafio para tentar concretizá-lo. Sonhar é das coisas mais importantes que o homem tem para poder concretizar as suas expectativas e ajudar muitos outros a beneficiar delas”. Tem na justiça, solidariedade e na identidade os principais valores que têm guiado o seu percurso de vida. Desde os 14 anos que participa em movimentos associativos tendo sido, inclusive, escuteiro. Actualmente, beneficia de toda essa experiência para, em termos institucionais, poder ajudar associações que lutam por angariar fundos, e por realizar determinadas iniciativas, determinados projectos. “Por outro lado, como cidadão, colaboro sempre que posso nessas mesmas iniciativas”.
 
Raul Castro não tem dúvida que para si, ser português, significa ser bom. “Este ser bom é no sentido abstracto do que nós apresentamos em todo o mundo. Tivemos os Descobrimentos, hoje há um português em qualquer parte deste mundo, sinal que valeu a pena ter esta disponibilidade para assumirmos que somos portugueses, porque somos mesmo bons naquilo que fazemos, somos bons naquilo que é a forma que temos de nos ligar com outros povos e bons para preservar a imagem do nosso território, que é a distinção que tem de se fazer para dizer que Portugal é um país de boa gente e acolhedor, solidário. Sendo português, para mim, é ser bom”. O orgulho em ser português e o sentido de patriotismo, Raul Castro revela-o nas funções que tem desempenhado e lembra ainda o facto de ter cumprido o serviço militar obrigatório, em defesa da pátria.