09 Dec, 2018 Última Actualização 4:33 PM, 7 Dec, 2018

Empresa portuguesa Mineral System marcou pela primeira vez presença na Feira Maison & Objet

 

Apesar de ter um ADN predominantemente português, é preciso viajar até França para conhecer na íntegra a história da empresa Mineral System, situada actualmente em Viana do Castelo. A companhia foi fundada por um casal português radicado em França e é uma filial da Real Marbre, uma empresa especializada em mármores, granitos e pedras, localizada em pleno coração de Paris. Depois de consolidada a presença na capital francesa, Manuel e Cristina Soares decidiram viajar até às suas origens e apostar em algo novo, revolucionando o mundo da pedra. No Minho criaram uma fábrica conhecida pela técnica inovadora “Favo de abelha”, produzindo revestimentos em mármore e pedra de grandes formatos sem os habituais constrangimentos de peso e dimensão. Este ano a Mineral System marcou pela primeira vez presença na Feira “Maison & Objet”, realizada no Parque de Exposições Paris-Nord Villepinte, e deu a conhecer este produto a vários arquitectos e decoradores de vários pontos do mundo.

Mais de cem empresas portuguesas marcaram presença na Feira “Maison & Objet”

 

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, destacou o têxtil-lar como exemplo dos sectores “que mais se modernizaram em Portugal e mais se adaptaram às novas regras da competição internacional”. O número dois do Governo visitou as mais de 100 empresas de vários sectores presentes na feira Maison & Object, dez das quais integradas numa comitiva liderada pela Associação Selectiva Moda, no âmbito do projecto de internacionalização From Portugal.

“No sector têxtil-lar, Portugal está entre os dez países mais exportadores do mundo e no sector mobiliário estamos entre os 20 países mais exportadores do mundo. Portanto, já não é baixos salários, já não é baixos custos de produção, é sobretudo mais valor acrescentado”, afirmou o ministro em reacção às conclusões de um estudo do Observatório sobre Crises e Alternativas segundo o qual a consolidação da retoma económica está a criar precariedade. O barómetro, divulgado a 5 de janeiro, revelou que o predomínio da precariedade continua, com a redução do peso dos contratos permanentes no setor privado e a degradação dos salários. O chefe da diplomacia portuguesa argumentou que o modelo de crescimento de Portugal “já não é baseado em baixos salários” porque acrescenta “mais valor no processo de produção, no processo de comercialização e nos serviços” prestados aos clientes e declarou que “essa ideia antiga de que Portugal exportava, sobretudo, cortiça ou calçado ou vestuário é uma ideia justamente cada vez menos adequada à realidade”.

Na feira Maison & Objet, realizada entre os dias 19 e 23 de janeiro no Parque de Exposições de Paris Nord-Villepinte, estiveram várias empresas com o selo de qualidade “Made in Portugal”.

Jovem luso-descendente conquista sucesso ao volante de uma empresa de transportes em Paris

 

 

A empresa ELR Environnement está especializada na recolha, triagem e tratamento de resíduos foi criada em 2004, mas actualmente já tem uma frota composta por “dez camiões, 250 contentores e uma média de 10 máquinas para fazer reciclagem no armazém”. Para além da recolha, do tratamento e da reciclagem de resíduos, a ELR Environnement também aluga máquinas e contentores. De acordo com o empresário Rui da Rocha, a companhia é certificada, segue uma política ambiental e acompanha o tratamento dos resíduos desde a recolha até à fase final. Rui está consciente que trabalha num sector com muita concorrência, mas procura demarcar-se através da “simplicidade” e qualidade na prestação de serviços

O esforço e dedicação de Rui da Rocha já mereceu a atenção e o reconhecimento de Portugal. Em 2015 e 2016, o jovem empresário foi chamado para receber o Prémio Cotec no país, apresentando no seu escritório fotos com o antigo Presidente da República, Cavaco Silva, e com o actual Chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa.  Apesar de ter nascido em França, o empresário tem dupla nacionalidade e confessa-se português e francês em doses iguais.

 

Entrevista ao Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva

 

Entre os dias 19 e 20 de janeiro o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, esteve em Paris. Durante a sua deslocação à capital francesa realizou um encontro com empresários e investidores portugueses da Diáspora, marcou presença Feira Internacional de Joalharia, visitou a Feira de moda Who’s Next e ainda a Feira internacional Maison & Objet, que recebeu este ano mais de 100 empresas nacionais. Mas antes de iniciar a missão de diplomacia económica, Augusto Santos Silva visitou os estúdios da Lusopress. Em entrevista ao Meio de Comunicação Social português radicado em França, abordou a participação cívica da Diáspora, falou sobre a questão do Brexit e a participação de Portugal no projecto europeu e falou ainda sobre o sucesso e integração dos portugueses residentes no estrangeiro. 

Tony Carreira celebrou 30 anos de canções no Zénith de Paris

 

 

Subiu ao palco sozinho, acompanhado apenas por uma guitarra. No Zénith Tony Carreira quis recuar no tempo, fazer a sua própria “primeira parte” e recuperar 30 anos de canções divididos entre França e Paris. Para festejar a data, o cantor realizou uma pequena digressão em acústico e o trabalho irá resultar agora num novo disco. Foi também nesse registo que arrancou o primeiro concerto da tourné em França, num espectáculo também marcado pelos duetos com os cantores David Gategno, Daniel Guichard e Natasha St-Pier.

No Zénith Tony interpretou vários temas dos álbuns franceses “Nos fiançailles”, “Mon Fado” e “Le Coeur des Femmes”, mas foram os grandes êxitos da sua carreira que mais fizeram vibrar a plateia composta essencialmente por portugueses radicados em França. Antes do concerto, o músico esteve à conversa com a Lusopress.